Blog da Fórmula-1 de Daniel Dias - Dias ao Volante

Ir para o conteúdo

Menu principal:

Fernando x Alonso

Dias ao Volante
Publicado por em F-1 ·

A um só tempo, um dos melhores pilotos de todos os tempos e o maior encrenqueiro da história da Fórmula-1, Fernando Alonso, pode-se dizer, cavou a própria sepultura e só não está a pé porque restou a McLaren para ele correr. Isso que o espanhol aprontou tudo contra a equipe inglesa em 2007, mas eram os tempos de outro bicudo como chefe de equipe, o Ron Dennis. O insuportável dirigente hoje ocupa uma cadeira burocrática qualquer no Grupo McLaren. Nesta semana, Christian Horner, o chefão da Red Bull, disse que não pensou no nome do Alonso para a vaga de Daniel Ricciardo, que vai para a Renault em 2019, porque "o Fernando representa o caos". Ou seja, de nada adianta o Alonso ser um dos melhores pilotos em atividade se ele corrói o ambiente na equipe.
É uma pena isto! Mas é verdade. Embora esteja bem mais light nos últimos anos, o Alonso continua pensando apenas em uma pessoa no circo: nele próprio! Nada de mal nisso, o Ayrton Senna, por exemplo, também pensava só nele quando o assunto era automobilismo, no entanto, o tricampeão brasileiro nunca entrou em atrito com sua equipe. Sua briga contra o Alain Prost ficava restrita a ele e ao francês. Ao contrário, Alonso põe fogo nas relações entre ele, seu companheiro e a equipe para buscar seu próprio bem. Infelizmente, de novo, aos 37 anos, o Alonso não muda mais!



Transplante salva Lauda

Dias ao Volante
Publicado por em F-1 ·

O austríaco Niki Lauda, atual presidente não-executivo da Mercedes, tricampeão da Fórmula-1 pela Ferrari (1975 e 1977) e McLaren (1984) e um dos maiores pilotos de todos os tempos, recebeu um pulmão feito por transplante na semana passada. A operação foi um sucesso, e o tricampeão se recupera com tranquilidade. Nesta quarta, a família de Niki revelou que ele teria poucos dias de vida sem o novo órgão. O problema de saúde de Lauda é um feflexo ainda de seu terrível acidente sofrido em Nürburgring Nordschleife no GP da Alemanha de 1976. A Ferrari de Lauda explodiu e o piloto inalou grande quantidade de fumaça até ser resgatado principalmente pelo piloto italiano Arturo Merzario do meio da bola de fogo em que estava, preso nas ferragens e já sem o capacete.
Quem assistiu ao filme Rush, No Limite da Emoção, sabe o martírio por que Lauda passou no hospital para os médicos limparem seus pulmões. Eu confesso que mal consegui ficar olhando para a tela nessas cenas. A limpeza dos pulmões na época salvou a vida de Lauda mas deixou sequelas.
Sou um apaixonado pela carreira e pela vida do Niki Lauda, fico na torcida por mais uma recuperação sua, assim como todos os amantes dos autinhos, tenho certeza!



Stroll compra a Force India

Dias ao Volante
Publicado por em F-1 ·

Pai de Lance Stroll, da Williams, e multimilionário canadense, Lawrence Stroll concluiu a compra da Force India. O negócio salvará a equipe da falência iminente e manterá o emprego dos funcionários, abrindo uma vaga para o filho em 2019. Depois do anúncio da ida do australiano Daniel Ricciardo da Red Bull para a Renault no próximo ano, as férias de verão europeu da Fórmula-1 estão bem agitadas. Em cadeia, a saída de Lance da Williams também abre um desenrolar de fatos. O primeiro é saber quem ficará na Force India, o mexicano Sergio Perez ou francês Esteban Ocon. Voto no Ocon. O segundo encaminha a Williams para o fundo do poço, pois perderá os preciosos dólares que o pai Lawrence coloca na equipe de Frank Williams, que perderá também o seu principal patrocinador, a Martini. Quanto a pilotos, a escuderia inglesa ainda ficaria bem, com o russo Sergey Sirotkin e o polonês Robert Kubica, em uma autêntica dupla da velha Cortina de Ferro. O problema é saber se a Williams terá dinheiro para alinhar em 2019.



Ricciardo agita a Fórmula-1

Dias ao Volante
Publicado por em F-1 ·

Daniel Ricciardo provocou o maior alvoroço na dança das cadeiras da Fórmula-1 dos últimos anos anunciando nesta sexta-feira sua ida da Red Bull para a Renault. Foi uma jogada de mestre do australiano, depois que as vagas na Ferrari e na Mercedes praticamente se fecharam para ele. Foi uma decisão de coragem do xará mas também foi uma da únicas saídas que ele tinha. A outra era ficar na Red Bull e confiar que o projetista Adrian Newey possa fazer algum milagre com os motores Honda em 2019. Portanto, a Renault é um porto seguro para a carreira de Ricciardo. Ao mesmo tempo, pode ter sido a carta que a equipe francesa estava aguardando para mudar de patamar na F-1. Ao lado de Nico Hulkenberg, Ricciardo fará uma dupla de respeito no próximo campeonato.
Para dividir as atenções com o bad boy Max Verstappen em 2019, a Red Bull deve optar por Carlos Sainz Jr. – piloto da Red Bull e emprestado para a Renault – ou promover Pierre Gasly, atualmente na Toro Rosso.



O Bolão depois da Hungria

Dias ao Volante
Publicado por em F-1 ·

O nosso Professor e o Lewis Hamilton foram os vencedores do GP da Hungria, com duas atuações perfeitas. O Professor se queixou afirmando que esta poderia ser sua aposentadoria nos nossos bolões. Professor, nem precisava essa atuação para termos certeza de que sua presença aqui é fundamental. Nada de aposentadoria! Deixa essas coisas para o bundão do Nico Rosberg. Também sinto falta das suas opiniões sobre a F-1 constantes aqui no Blog.
Bem, depois do horroroso Hungaroring, a F-1 espera quase um mês para o retorno do campeonato e da nossa brincadeira, em Spa. E valerá à pena aguardar para corrida naquele espetacular circuito.

Parâmetros utilizados na Hungria:
Pole: HAMILTON
Vencedor: HAMILTON
Segundo colocado da prova: VETTEL
Terceiro colocado da prova: RAIKKONEN
Quarto colocado da prova: RICCIARDO
Quinto colocado da prova: BOTTAS
Último colocado da prova (segundo a cronometragem oficial da FIA): LECLERC
Desafio: a McLaren é a maior vencedora do GP da Hungria, que está no calendário desde 1986, com 11 conquistas. Então, quero saber em qual posição o Fernando Alonso termina na corrida? OITAVO

Hungria:
1) Mário Gayer do Amaral (Professor) - 45 pontos
2) Luiz Herrera - 30 pontos
3) Mauro - 30 pontos
4) Marcelo Pereira - 25 pontos
5) Guilherme Vieira - 20 pontos
5) Marcelo Vieira - 20 pontos
5) Tiago Reimann - 20 pontos
5) Ismael Reichert - 20 pontos
9) Gabriel Dias - 15 pontos
9) Luis Mauro Gonçalves - 15 pontos
9) Daniel Cardoso - 15 pontos
9) Maurício Dias - 15 pontos
9) Natanel Felipe Rhoden - 15 pontos
9) Mardilê Friedrich Fabre - 15 pontos
15) Francisco Cavalin - 5 pontos
16) Daniel Dias - 0 pontos
16) Matteus Saldanha - 0 pontos
16) Romário Braga - 0 ponto
16) Eduardo Saraiva - 0 ponto
16) André Borges - 0 ponto
16) Pedro Henrique - 0 ponto

Total:
1) Gabriel Dias - 400 pontos
2) Mauro - 380 pontos
3) Ismael Reichert - 375 pontos
4) Marcelo Veira - 350 pontos
5) Maurício Dias - 340 pontos
6) Daniel Dias - 335 pontos
7) Natanael Felipe Rhoden - 330 pontos
8) Luiz Herrera - 310 pontos
9) Daniel Cardoso - 285 pontos
10) Luiz Mauro Gonçalves Rosa - 275 pontos
11) Marcelo Pereira - 255 pontos
12) Mardilê Friedrich Fabre - 250 pontos
13) Tiago Reimann - 210 pontos
14) Francisco Cavalin - 200 pontos
15) Matteus Saldanha - 185 pontos
15) Guilherme Vieira - 185 pontos
17) Mário Gayer do Amaral (Professor) - 140 pontos
18) André Borges - 130 pontos
19) Pedro Henrique - 125 pontos
20) Eduardo Saraiva - 100 pontos
21) Romário Braga - 45 pontos



Hamilton vence na Hungria

Dias ao Volante
Publicado por em F-1 ·




Lewis Hamilton venceu o GP da Hungria no sábado, ao aproveitar a chuva que caiu na terceira parte do treino de classificação e conquistar a pole position da décima segunda etapa do Mundial de Fórmula-1. Não só por ter conseguido a primeira posição para a largada mas principalmente por ter tirado as chances da Ferrari em uma pista amplamente favorável ao carro da equipe italiana em comparação às Flechas de Prata. Para Sebastian Vettel, sobrou ter de arriscar alguma coisa diferente para a corrida, disputada no domingo com pista seca. Para isso, o tetracampeão alemão foi o único dos pilotos da frente do pelotão a partir com pneus macios (os amarelos), para permanecer mais tempo na pista antes da parada de box.
A estratégia só não teve sucesso total porque a Ferrari atrasou a troca do pneu dianteiro esquerdo e Vettel voltou atrás de Valtteri Bottas, o segundo colocado. E Vettel ficou preso quase até o final da prova, quando partiu decisivamente sobre o segundo piloto da Mercedes na retinha depois da curva 1 de Hungaroring, conseguindo a ultrapassagem. Perfeito como escudeiro de Hamilton na Hungria até então, Bottas foi bandido ao não admitir a passagem do piloto da Ferrari e bater na traseira do carro de número 5 na freada da curva 2. Felizmente, o dano ficou só para o finlandês, que teve parte do bico da Mercedes avariado, perdendo lugar também para Kimi Raikkonen.
Poucas voltas adiante, Bottas faria coisa ainda mais feia, colidindo, aparentemente de propósito, em Daniel Ricciardo na curva 1. O australiano da Red Bull - que fez uma bela prova de recuperação, pois não passou do Q2 da classificação por ter colocado os pneus para chuva muito tarde -, saiu da pista. Com isso, a direção de prova colocou Bottas sob investigação. Porém, mesmo se vier a tomar uma punição, o finladês permanecerá na quinta colocação (Ricciardo o ultrapassou na última volta).
Líder do campeonato agora com uma vantagem de 24 pontos sobre Vettel, Hamilton fez uma prova perfeita em Hungaroring. Mesmo se o rival alemão não tivesse perdido tempo com Bottas, o inglês teria vencido com folga. Um fato estranho ocorreu com a "entrada" do sempre polêmico safety car virtual – devido à parada de Stoffel Vandoorne, da McLaren, em local perigoso. Naquele instante, Hamilton tinha uma vantagem em torno de 10 segundos em cima de Bottas. Na volta seguinte, essa diferença foi para 19 segundos, comprovando que não é possível controlar o ritmo dos pilotos sob intervenção do safety car virtual. De qualquer jeito, isso não mudaria o resultado final da prova e nem daria uma punição para Hamilton porque a quebra dessa regra fica quase impossível de os comissários de pista fiscalizarem.
Embora as duas manobras de Bottas tenham sido feias, serviram para animar um pouco uma corrida extremamente chata, como são a maioria das provas disputadas no supertravado e irritante circuito de Hungaroring. De tão trancada, a pista permitiu que Raikkonen – com duas paradas para troca de pneus – ainda tivesse tempo para lutar por um lugar no pódio contra o companheiro Vettel e o finlandês da Mercedes, que fizeram apenas um pit stop.
A F-1 para agora por três semanas nas férias do verão europeu e retorna com o GP da Bélgica, no espetacular Spa-Francorchamps, dia 26 de agosto. Hamilton mostrou toda a sua alegria e seu alívio após descer do carro neste domingo, na sua quinta vitória na temporada, uma a mais que Vettel:
- Foi um dia perfeito, com um grande carro nas mãos. Vou agora procurar uma praia para curtir sossegado estas três semanas de folga. Nem quero pensar em F-1 nesse tempo.
Resignado com a perda da pole e as condições mais favoráveis para tentar diminuir a diferença para Hamilton no campeonato, Vettel ficou satisfeito com o segundo lugar.

- Era o máximo que poderíamos ter conseguido com o lugar que largamos (quarto). Tentamos fazer uma coisa diferente com os pneus, mas ainda tivemos um probleminha no pit stop. No entanto, não dava para ter buscado o Lewis na corrida.

A narração do simpático Cleber Machado ficou como a grande nota negativa na transmissão da TV. Não parando quieto um único instante e descrevendo todas as imagens que apareciam na tela – como se o telespectador fosse um idiota -, o cara comenta todas as opiniões ditas pelo reais comentaristas da transmissão, o Reginaldo Leme e o Luciano Burti. Mala!

Resultado final do GP da Hungria:
1) L. Hamilton - Mercedes - 1h37min16s427
2) S. Vettel - Ferrari - a 17s123
3) K. Raikkonen - Ferrari - a 20s101

4) D. Ricciardo - Red Bull - a 46s419
5) V. Bottas - Mercedes - a 50s000
6) P. Gasly - Toro Rosso - a 1min13s273
7) K. Magnussen - Haas - a uma volta
8) F. Alonso - McLaren - a uma volta
9) C. Sainz Jr - Renault - a uma volta
10) R. Grosjean - Haas - a uma volta

11) B. Hartley - Toro Rosso - a uma volta
12) N. Hulkenberg - Renault - a uma volta
13) E. Ocon - Force India - a uma volta
14) S. Perez - Force India - a uma volta
15) M. Ericsson - Sauber - a uma volta
16) S. Sirotkin - Williams - a duas voltas
17) L. Stroll - Williams - a duas voltas

18) S. Vandoorne - McLaren - não completou
19) M. Verstappen - Red Bull - não completou
20) C. Leclerc - Sauber - não completou

Melhor volta - D. Ricciardo - Red Bull - 1min20s012

Classificação do Mundial de Pilotos:
1) L. Hamilton - Mercedes - 213 pontos
2) S. Vettel - Ferrari - 189 pontos
3) K. Raikkonen - Ferrari - 146 pontos
4) V. Bottas - Mercedes - 132 pontos
5) D. Ricciardo - Red Bull - 118 pontos
6) M. Verstappen - Red Bull - 105 pontos
7) N. Hulkenberg - Renault - 52 pontos
8) K. Magnussen - Haas - 45 pontos
9) F. Alonso - McLaren - 44 pontos
10) S. Perez - Force India - 30 pontos
11) C. Sainz Jr - Renault - 30 pontos
12) E. Ocon - Force India - 29 pontos
13) P. Gasly - Toro Rosso - 26 pontos
14) R. Grosjean - Haas - 21 pontos
15) C. Leclerc - Sauber - 13 pontos
16) S. Vandoorne - McLaren - 8 pontos
17) M. Ericsson - Sauber - 5 pontos
18) L. Stroll - Williams - 4 pontos
19) B. Hartley - Toro Rosso - 2 ponto
20) S. Sirotkin - Williams - 0 ponto

Classificação do Mundial de Construtores:
1) Mercedes - 345 pontos
2) Ferrari - 336 pontos
3) Red Bull - 223 pontos
4) Renault - 82 pontos
5) Haas - 66 pontos
6) Force India - 59 pontos
7) McLaren - 52 pontos
8) Toro Rosso - 28 pontos
9) Sauber - 18 pontos
10) Williams - 4 pontos



Hamilton é pole na Hungria

Dias ao Volante
Publicado por em F-1 ·

A sorte e a competência determinaram a pole position surpreendente de Lewis Hamilton na Hungria neste sábado. Choveu forte no Q3 e a equipe Mercedes se aproveitou da situação, fazendo os dois melhores tempos, à frente de Kimi Raikkonen e Sebastian Vettel. Sorte de Hamilton, porque a Mercedes não teria carro para enfrentar a Ferrari no seco em Hungaroring, e competência, porque o inglês, a exemplo do companheiro Valtteri Bottas, arriscou mais e viu coroada essa coragem. Na entrevista depois do treino, Hamilton reconheceu que não contava com a primeira posição:

- A gente não esperava, a Ferrari está andando muito forte aqui. Mas já que veio, vamos tratar de deixar os carros vermelhos atrás na corrida.

A prova deve ser com pista seca. E nessas condições está a esperança de Vettel:

- Estava muito difícil de manter o carro na pista com a chuva. Mas no seco teremos um carro muito rápido e poderemos lutar para reverter essa situação.

Nas três partes do treino de classicação, a pista esteve úmida no Q1, molhada no Q2, com Vettel ficando em primeiro porque já saiu dos boxes com pneus intermediários – Daniel Ricciardo "mosqueou" e não usou os intermediários na hora certa e ficou de fora do Q3 -, e completamente molhada no Q3. Os pilotos da frente usaram dois jogos de pneus para chuva (os azuis), e a Mercedes levou a melhor nesse panorama.
A corrida neste domingo começa às 10h10min, e terá transmissão ao vivo pela Globo.

Resultado da classificação:
1) L. Hamilton - Mercedes - 1min35s658
2) V. Bottas - Mercedes - 1min35s918
3) K. Raikkonen - Ferrari - 1min36s186
4) S. Vettel - Ferrari - 1min36s210
5) C. Sainz Jr - Renault - 1min36s743
6) P. Gasly - Toro Rosso - 1min37s591
7) M. Verstappen - Red Bull - 1min38s032
8) B. Hartley - Toro Rosso - 1min38s128
9) K. Magnussen - Haas - 1min39s858
10) R. Grosjean - Haas - 1min40s593

11) F. Alonso - McLaren
12) D. Ricciardo - Red Bull
13) N. Hulkenberg - Renault
14) M. Ericsson - Sauber
15) L. Stroll - Williams

16) S. Vandoorner - McLaren
17) C. Leclerc - Sauber
18) E. Ocon - Force India
19) S. Perez - Force India
20) S. Sirotkin - Williams



Resultado do terceiro treino livre do GP da Hungria

Dias ao Volante
Publicado por em F-1 ·

1) S. Vettel - Ferrari - 1min16s170
2) V. Bottas - Mercedes - a 0s059
3) K. Raikkonen - Ferrari - a 0s203
4) L. Hamilton - Mercedes - a 0s579
5) D. Raikkonen  - Red Bull - a 0s633
6) M. Verstappen - Red Bull - a 0s776
7) C. Sainz Jr - Renault - a 1s584
8) N. Hulkenberg - Renault - a 1s913
9) R. Grosjean - Haas - a 1s914
10) P. Gasly - Toro Rosso - a 1s969
11) K. Magnussen - Haas - a 2s060
12) B. Hartley - Toro Rosso - a 2082
13) C. Leclerc - Sauber - a 2s206
14) F. Alonso - McLaren - a 2s297
15) E. Ocon  - Force India - a 2s342
16) S. Sirotkin - Williams - a 2s460
17) S. Vandoorne - McLaren - a 2s619
18) M. Ericsson - Sauber - a 2s672
19) S. Perez - Force India - a 2s792
20) L. Stroll - Williams - a 2s962



Vettel com pressa na Hungria

Dias ao Volante
Publicado por em F-1 ·

Como se estivesse mordido pelo seu erro durante o GP da Alemanha, na semana, passada, no qual entregou a vitória e a liderança do Mundial de Fórmula-1 de bandeja para o rival Lewis Hamilton, Sebastian Vettel meio que saiu da rotina de treinos de sextas-feiras da Ferrari neste ano. Normalmente, os pilotos da equipe italiana usam as duas primeiras sessões dos GPs para testar novos ajustes. O tetracampeão alemão utilizou os pneus mais rápidos reservados para o GP da Hungria, os ultramacios (roxos), nas duas sessões. Pela manhã, ficou atrás de Daniel Ricciardo, da Red Bull. Á tarde, Vettel pisou forte no acelerador logo de cara e marcou o melhor tempo do dia, seguido de perto por Max Verstappen, Ricciardo e por seu companheiro Kimi Raikkonen.
Pode ter sido apenas no primeiro dia, mas a Mercedes comprovou nesta sexta que Hungaroring não sorri para os carros prateados. Lewis Hamilton e Valtteri Bottas ficaram em quinto e sexto com tempos bem distantes dos registrados pelo quarteto da frente.
A classificação para o GP da Hungria está prevista para as 10h (nosso horário) deste sábado, com transmissão pelo Sportv. No domingo, às 10h10min, a Globo mostra a décima segunda etapa do Mundial ao vivo. Será um fim de semana para curtir bem a F-1, pois o campeonato só retorna daqui a um mês, após as férias do verão europeu.

Segundo treino livre:
1.   Vettel, Ferrari, 1:16:834
2.   Verstappen, Red Bull, a 0:074
3.   Ricciardo, Red Bull, a 0:227
4.   Raikkonen, Ferrari, a 0:319
5.   Hamiltom, Mercedes, a 0:753
6.   Bottas, Mercedes, a 1:034
7.   Grosjean, Haas, a 1:231
8.   Sainz Jr., Renault, a 1:661
9.   Gasly, Toro Rosso, , a 1:684
10. Ocon, Force India, a 1:927
11. Perez, Force India, a 2:016
12. Alonso, McLaren, a 2:023
13. Magnussen, Haas, a 2:046
14. Hulkenberg, Renault, a 2:079
15. Hartley, Toro, Rosso, a 2:082
16. Ericsson, Sauber, a 2:209
17. Leclerc, Sauber, a 2:303
18. Stroll, Williams, a 2:881
19. Vandoorne, McLaren, a 2:878
20. Sirotski, Williams, a 2:936



Bottas e Leclerc

Dias ao Volante
Publicado por em F-1 ·


Às vésperas da décima segunda e última etapa da temporada antes das férias de um mês do verão europeu, o segundo piloto de Mercedes e Ferrari esteve na berlinda novamente no circuito de Hungaroring. Valtteri Bottas, feliz pelo anúncio da estensão de seu contrato com a Mercedes para 2019, afirmou que está fazendo um campeonato bem mais consistente do que no ano passado, apesar de ainda não ter vencido uma corrida em 2018. O finlandês comentou também sobre sua posição na equipe alemã, o que ninguém acreditou na sala de imprensa do circuito húngaro:
- Não tem nada escrito no meu contrato dizendo que tenho de ajudar meu companheiro. Estou livre para brigar com o Lewis abertamente na pista.
O xingão que Bottas levou da equipe quando atacou Hamilton no final da corrida de Hockenhein, há uma semana, desmente a declaração do finlandês por completo.
Na Sauber, o chefe de equipe Frederic Vasseur pode ter dado uma nova pista sobre o futuro do menino prodígio Charles Leclerc. Para o dirigente, ir para a Ferrari já em 2019 poderia ser fatal para a carreira do jovem piloto monegasco:
- Não vou citar nomes, mas a F-1 teve muitos casos de pilotos que estrearam muito bem e logo assinaram contratos com equipes grandes, não indo muito bem. Penso que a carreira de um piloto deve seguir passo a passo. Por isso, acho que o Charles deve ficar na Sauber um pouco mais.



Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal