Rossi papa a centésima 500 Milhas - Blog da Fórmula-1 de Daniel Dias - Dias ao Volante

Ir para o conteúdo

Menu principal:

Rossi papa a centésima 500 Milhas

Dias ao Volante
Publicado por em Indy ·

A centésima edição das 500 Milhas de Indianápolis foi uma grande festa, especialmente nos intermináveis momentos antes da largada. Os norte-americanos sabem fazer uma festa. Teve música de todos os tipos, com vários palcos espalhados na reta principal do Indianapolis Motor Speedway. É impressionante como estes caras desmontam tudo rapidinho.
Se alguém apostasse no Alexander Rossi, da cidade de Auburn, na Califórnia, antes da prova seria chamado de maluco. Mas deu o jovem rapaz de 25 anos, cara de guri assustado e ex-piloto da Manor da Fórmula-1.
As 500 Milhas, como sempre, foram um belíssimo espetáculo. Como prova automobilística, é um lixo, pois a coisa dura mais de três horas mas o que conta mesmo são as últimas 30 de 200 voltas.
Gostaria de debruçar a atenção sobre a cobertura da TV, e o mesmo vale para a da F-1 e de qualquer prova de automóvel do mundo. Sabem quando o narrador Teo José, da Band, viu que o Rossi estava participando da corrida? Nas duas últimas voltas. O cara passou repetindo por três horas "a centésima edição das 500 Milhas", "Indianapolis Motor Speedway", "a maior prova do planeta", "Helio Castroneves" e "Tony Kanaan" 500 vezes cada expressão ou nome.
Informação jornalística para os telespectadores, só dos primeiros colocados e dos brasileiros. Diferentemente da F-1, na qual poucos podem ganhar uma prova, nas 500 Milhas de Indianápolis, qualquer um dos 33 pilotos pode vencer. Por isso, como os caras da cobertura da TV têm acesso à cronometragem da prova (item fundamental no entendimento de uma competição longa como essa, com várias paradas de box), eles têm de informar jornalisticamente e não ficar dando seu showzinho.
E vamos parar com esta porcaria de história de ficar acompanhando preferencialmente os pilotos brasileiros! Quem gosta de automobilismo, assiste porque curte corrida. E entende da coisa! Mas precisa ser orientado jornalisticamente.

1.   Alexander Rossi (EUA), Andretti-Honda
2.   Carlos Muõz (COL), Andretti-Honda
3.   Josef Newgarden (EUA), Fisher Hartman-Honda (EUA)
4.   Tony Kanaan (BRA), Ganassi-Chevrolet
5.   Charlie Kimball (EUA), Ganassi-Chevrolet
6.   J.R. Hildebrand (EUA), Carpenter-Chevrolet
7.   James Hinchcliffe (CAN), Schimidt Peterson-Honda (pole position)
8.   Scott Dixon (NZL), Ganassi-Chevrolet
9.   Sebastien Bourdais (FRA), KV-Chevrolet
10. Will Power (AUS), Penske-Chevrolet
11. Hélio Castroneves (BRA), Penske-Chevrolet
12. Oriol Serviá (ESP), Schimidt Peterson-Honda
13. Marco Andretti (EUA), Andretti-Honda
14. Graham Rahal (EUA), RLL-Honda
15. Max Chilton (ING), Ganassi-Chevrolet
16. Jack Hawksworth (ING), Foyr-Honda
17. Alex Tagliani (CAN), Foyt-Honda)
18. Pippa Mann (ING), Dale Coyne-Honda
19. Simon Pagenaud (FRA), Penske-Chevrolet (líder do campeonato)
20. Gabby Chaves (COL), Dale Coyne-Honda
21. Townsend Bell (EUA),KV-Chevrolet
22. Matt Brabham (AUS), Pirtek-Chevrolet
23. Bryan Clauson (EUA), Jonathan Byrd-Honda
24. Ryan Hunter-Reay (EUA), Andretti-Honda
25. Spencer Pigot (EUA), RLL-Honda – não terminou
26. Takuma Sato (JAP), Foyt-Honda – não terminou
27. Mikhail Aleshin (RUS), Schimidt Peterson-Honda – não terminou
28. Stefan Wilson (ING), KV-Chevrolet – não terminou
29. Conor Daly (EUA), Dale Coyne-Honda – não terminou
30. Buddy Lazier (EUA), Lazier-Chevrolet – não terminou
31. Ed Carpenter (EUA), Carpenter-Chevrolet – não terminou
32. Sage Karan (EUA), DRR Kingdom-Chevrolet – não terminou
33. Juan Pablo Montoya (COL), Penske-Chevrolet – não terminou



4 comentários
Média dos votos: 140.0/5
Daniel Dias
2016-06-01 23:24:05
Perfeito. Nata!
Pelo menos nisto, o Reginaldo é organizado mesmo. E com a ajuda do Burti, a Globo toma menos frango neste quesito.
Natanael Felipe Rhoden
2016-05-31 16:19:21
Claro Daniel, as 500 milhas é um evento único dentro do campeonato da Indy. Obviamente que o que vale é a vitória na prova. Também jamais vou querer justificar as besteiras de transmissões televisivas, ainda mais com o narrador aqui e o comentarista lá. Pelo menos pra essa função de pit-stops, paradas, janelas, o Reginaldo Leme na F1 é organizado. Agora para fins de campeonato, ao menos o resultado do Tony pode ter ajudado a subir na tabela de classificação, ainda mais que no regulamento da Indy, a prova tem pontuação dobrada.
Daniel Dias
2016-05-30 22:46:12
É isto aí, Campeão.
Mas um monte de caras lideraram a prova, sem merecer reconhecimento dos homens da cobertura da TV.
Quanto ao quarto lugar do Kanaan e a boa corrida do Castroneves, nas 500 Milhas, é nada. Só o vencedor que interessa. Nunca ninguém lembra do segundo colocado na prova, quanto mais as outras posições. Tanto que nas 500 Milhas não tem pódio, só o ganhador que conta.
Natanael Felipe Rhoden
2016-05-30 13:03:01
Na verdade eles viram o Rossi antes, afinal ele vinha em janela de paradas diferente dos demais e já havia liderado a prova, mas não se deram conta no final da prova justamente disso. A Andretti/Herta arriscou na tática de combustível e deu certo. Quanto ao Hélio Castroneves, não tinha dúvida que era o melhor carro da pista, mas a trapalhada do J.R.Hildebrand (esse mesmo que fez o favor de bater na curva 4 na última volta quando era líder em 2011), tirou o brasileiro da disputa. Tony também foi ótimo na prova saiu de 18° para encerrar em 4°. Outro piloto que parece que nasceu dentro do oval de Indianápolis é o Carlos Muñoz, o cara não aparece a temporada inteira, mas no superspeedway sempre está lutando pela vitória. Alexander Rossi entra para a história, desde 2001 um estreante não vencia, vence, justamente, a 100ª edição e para quem poderia estar na turma do fundão da F1, é prova de que há vida para pilotos longe da F1

Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal