09/2020 - Blog da Fórmula-1 de Daniel Dias - Dias ao Volante

Ir para o conteúdo

Menu principal:

O Bolão depois da Rússia

Dias ao Volante
Publicado por em Bolão 2020 F1 ·


Então, finalmente me tiraram da incômoda (para mim) liderança do Bolão, só não queria que fosse da forma como aconteceu. O André e o Eduardo foram os grandes vencedores na Rússia, mas não a exemplo do Valtteri Bottas, que só venceu em Sochi porque a FIA decidiu punir o Lewis Hamilton até se ele chupar um picolé no quarto de seu hotel, sem nenhuma companhia dentro do recinto. E que estranha punição foi essa, porque aplicaram o rigor da lei (besta) para ele, mas retiraram os pontos de sua superlicença... FIA, não existe meio criminoso, se decidiu punir o melhor por ter colocado em risco a integridade de todo o resto do grid por fazer paradas para treinar largadas na volta de alinhamento para o GP, que mantivesse os pontos em sua “carteira”. Ora, bolas!
Mas mais importante que isso foi ver a bela arrancada do Maurício rumo à liderança do Bolão. Esse, sim, merece, não o Bottas por ter vencido uma corrida com cartas marcadas. Parabéns, Maurício, agora estou mais tranquilo.

Parâmetros utilizados no GP da Rússia:
Pole: Hamilton
Vencedor: Bottas
Segundo: Verstappen
Terceiro: Hamilton
Quarto: Perez
Quinto: Ricciardo
Último colocado na corrida, entre os pilotos que completarem a prova: Russell
Melhor volta da prova: Bottas
Desafio (proposto a cada prova): 10 pontos – no rodízio de desafios, é a vez exatamente do Lewis Hamilton. E como não poderia ser outra pergunta, vamos lá. O menino inglês consegue vencer na Rússia e chegar ao recorde na Fórmula-1? Sim ou não. Não

Rússia:
1) Eduardo Saraiva - 35 pontos
1) André Borges - 35 pontos
3) Luiz Herrera - 30 pontos
3) Maurício Dias - 30 pontos
5) Mauro - 15 pontos
6) Marcelo Pereira - 10 pontos
6) Natanael Felipe Rhoden - 10 pontos
6) Ismael Reichert - 10 pontos
9) Daniel Cardoso - 5 pontos
9) Gabriel Dias - 5 pontos
9) Pedro Henrique - 5 pontos
9) Francisco Cavalin - 5 pontos
9) Daniel Dias - 5 pontos
9) Mário Gayer do Amaral (Professor) - 5 pontos
15) Marcelo Vieira - 0 ponto
15) Tiago Reimann - 0 ponto

Total:
1) Maurício Dias - 435 pontos
2) Daniel Dias - 430 pontos
2) Ismael Reichert - 430 pontos
4) Mário Gayer do Amaral (Professor) - 415 pontos
4) Luiz Herrera - 415 pontos
6) Daniel Cardoso - 410pontos
7) André Borges - 395 pontos
8) Natanael Felipe Rhoden - 380 pontos
8) Francisco Cavalin - 380 pontos
10) Eduardo Saraiva - 375 pontos
11) Mauro - 350 pontos
12) Pedro Henrique - 310 pontos
13) Gabriel Dias - 290 pontos
14) Marcelo Pereira - 240 pontos
15) Marcelo Vieira - 195 pontos
16) Tiago Reimann - 150 pontos



A FIA cumpre sua função: estragar a F-1

Dias ao Volante
Publicado por em F-1 ·




Na corrida em que ia chegar ao recorde de vitórias de Michael Schumacher (91) na Fórmula-1, Lewis Hamilton sofreu duas punições no GP da Rússia, neste domingo. O hexaheptacampeão foi punido por treinar largada duas vezes quando estava levando seu carro para o grid de lagada. Certamente, ele não foi o primeiro a fazer tal coisa no automobilismo. Que perigo existe em fazer tal coisa quando todo mundo está andando devagar, sem risco pra ninguém? O Valtteri Bottas, que quase matou gente na prova anterior, quando tirou o pé em uma relargada provocando o efeito cascata no meio do pelotão, nem ao menos foi levado a julgamento pelos senhores comissários, empregados da FIA. Em Sochi, Hamilton pagou os 10 segundos da punição no pit stop e caiu para terceiro. Crime! Ah, quem venceu o GP da Rússia? Bottas, naturalmente!
Com isso, a Federação Internacional de Automobilismo cumpriu sua única função no momento: a de estragar a F-1, tão bem comandada pelos norte-americanos da Liberty. Acontece que quem faz as regras é a FIA. E nisso, já vejo uma possível luz no fim do túnel: a Liberty desvincular a F-1 da FIA. Se isso acontecesse, a F-1 perderia a legitimidade por não estar debaixo do guarda-chuva da FIA? E daí? A F-1 continuaria sendo o que é e aos engravatados da FIA restaria ficarem tomando champanha na suntuosa sede da entidade, na Praça de La Concorde, em Paris. Isso eles sabem fazer muito bem!
O Mundial continua daqui a duas semanas em Nürburgring, na Alemanha. Qual será a próxima punição que Lewis Hamilton sofrerá? Talvez por ser o melhor piloto da história da F-1.
Dá nojo isso!

Resultado final:
1) V. Bottas - Mercedes - 1h34min00s364
2) M. Verstappen - Red Bull - a 7s729
3) L. Hamilton - Mercedes - a 22s729

4) S. Perez - Racing Point - a 30s558
5) D. Ricciardo - Renault - a 52s065
6) C. Leclerc - Ferrari - a 1min02s186
7) E. Ocon - Renault - a 1min08s006
8) D. Kvyat - Alpha Tauri - a 1min08s740
9) P. Gasly - Alpha Tauri - a 1min29s766
10) A. Albon - Red Bull - a 1min37s860

11) A. Giovinazzi - Alfa Romeo - a uma volta
12) K. Magnussen - Haas - a uma volta
13) S. Vettel - Ferrari - a uma volta
14) K. Raikkonen - Alfa Romeo - a uma volta
15) L. Norris - McLaren - a uma volta
16) N. Latifi - Williams - a uma volta
17) R. Grosjean - Haas - a uma volta
18) G. Russell - Williams - a uma volta

19) C. Sainz Jr - McLaren - não completou
20) L. Stroll - Racing Point - não completou

Melhor Volta - V. Bottas - Mercedes - 1min37s030

Mundial de Pilotos 2020:
1) L. Hamilton - Mercedes - 205 pontos
2) V. Bottas - Mercedes - 161 pontos
3) M. Verstappen - Red Bull - 128 pontos
4) L. Norris - McLaren - 65 pontos
5) A. Albon - Red Bull - 64 pontos
6) D. Ricciardo - Renault - 63 pontos
7) C. Leclerc - Ferrari - 57 pontos
8) L. Stroll - Racing Point - 57 pontos
9) S. Perez - Racing Point - 56 pontos
10) P. Gasly - Alpha Tauri - 45 pontos
11) C. Sainz Jr - McLaren - 41 pontos
12) E. Ocon - Renault - 36 pontos
13) S. Vettel - Ferrari - 17 pontos
14) D. Kvyat - ALpha Tauri - 14 pontos
15) N. Hulkenberg - Racing Point - 6 pontos
16) K. Raikkonen - Alfa Romeo - 2 pontos
17) A. Giovinazzi - Alfa Romeo - 2 pontos
18) K. Magnussen - Haas - 1 ponto
19) N. Latifi - Williams - 0 ponto
20) G. Russell - Williams - 0 ponto
21) R. Grosjean - Haas - 0 ponto

Mundial de Construtores:
1) Mercedes - 366 pontos
2) Red Bull - 192 pontos
3) McLaren - 106 pontos
4) Racing Point - 104 pontos
5) Renault - 99 pontos
6) Ferrari - 74 pontos
7) Alpha Tauri - 59 pontos
8) Alfa Romeo - 4 pontos
9) Haas - 1 ponto
10) Williams - 0 ponto



Hamilton humilha com a pole em Sochi

Dias ao Volante
Publicado por em F-1 ·



A classificação para o GP da Rússia neste sábado foi digna de roteiro de Hollywood. No Q2, com os pilotos da Mercedes querendo fazer o tempo para a largada com os pneus amarelos, os médios, Lewis Hamilton ficou prejudicado quando Sebastian Vettel bateu forte sua Ferrari no meio do circuito. Veio bandeira vermelha, interrompendo o treino faltando apenas dois minutos e quinze segundos para o final. Como a volta em Sochi é longa, seria pouco tempo para todos os pilotos se colocarem na pista em suas tentativas de volta rápida. Hamilton conseguiu abrir sua última tentativa faltando menos de um segundo para terminar o tempo regulamentar. Para não arriscar mais, o hexaheptacampeão voltou para a pista com pneus vermelhos, os macios. Mesmo prejudicado pelo grande tráfego de pilotos naquele momento, o inglês conseguiu um tempo suficiente para ter o direito de participar do Q3.
E no Q3 veio a humilhação total para a concorrência. Já na primeira tentativa, Hamilton colocou mais de meio segundo no companheiro Vatteri Bottas. Na segunda, ele foi ainda mais rápido, batendo o recorde extra-oficial da pista de Sochi, superando a volta de Bottas obtida em 2018.
Na entrevista após a sessão, Hamilton agradeceu ao bom público que foi liberado para assistir à corrida no autódromo, com os devidos cuidados contra a Covid-19. Não considero que Hamilton tenha saído da classificação em desvantagem para Max Verstappen, que ainda conseguiu superar Bottas, e o próprio finlandês por ter de largar com pneus vermelhos. Por dois motivos: a pista de Sochi gasta muito pouco pneu e ele poderá ficar mais tempo antes seu pit stop. A segunda razão é mais importante: Hamilton terá um pneu com mais tração para largar, podendo manter a ponta com mais tranquilidade.
Por fim, uma nota para esse circuito de meia tigela: péssima pista para F-1, toda travada, estreita e sem pontos importantes de referência. Além disso, com muros muito próximos, ela é extremamente perigosa.
Ah, não esqueçam de que a corrida começa às 8h10min deste domingo. Fiquemos alertas!

Resultado da Classificação:
1) L. Hamilton - Mercedes - 1min31s304
2) M. Verstappen - Red Bull - a 0s563
3) V. Bottas - Mercedes - a 0s652
4) S. Perez - Racing Point - a 1s013
5) D. Ricciardo - Renault - a 1s060
6) C. Sainz Jr - McLaren - a 1s246
7) E. Ocon - Renault - a 1s320
8) L. Norris - McLaren - a 1s543
9) P. Gasly - Alpha Tauri - a 1s696
10) A. Albon - Red Bull - a 1s704
11) C. Leclerc - Ferrari
12) D. Kvyat - Alpha Tauri
13) L. Stroll - Racing Point
14) G. Russell - Williams
15) S. Vettel - Ferrari
16) R. Grosjean - Haas
17) A. Giovinazzi - Alfa Romeo
18) K. Magnussen - Haas
19) N. Latifi - Williams
20) K. Raikkonen - Alfa Romeo



Bottas domina na sexta em Sochi

Dias ao Volante
Publicado por em F-1 ·



A Mercedes confirmou toda sua superioridade desde 2014 e em Sochi desde a estreia da pista russa, no mesmo ano, nesta sexta-feira, com Valtteri Bottas sendo o mais rápido do dia nas duas sessões. Pela manhã na Rússia, Lewis Hamilton ficou apenas em décimo nono devido a problemas de freios em sua Mercedes. À tarde, o hexaheptacampeão, que busca nesta corrida se igualar ao número de vitórias (91) na Fórmula-1 de Michael Schumacher, ficou em segundo, pouco mais de 2 décimos de segundo atrás de seu companheiro. Desesperado para andar próximo às Mercedes, Max Verstappen, da Red Bull, teve, no entanto, de se contentar com a sétima posição no momento. O mais próximo das Flechas de Prata, pintadas de preto neste ano, foi Daniel Ricciardo, que mostra uma importante evolução do carro da Renault nas últimas etapas, o que é uma ótima notícia para a volta de Fernando Alonso à equipe francesa em 2021, quando a escuderia passará a se chamar de Alpine, uma divisão de competição da marca francesa do “Diamante”.
Nos bastidores, foi anunciado o retorno de Stefano Dominicali, ex-chefão da Ferrari e até então CEO da Lamborghini, à principal categoria do automobilismo. E o italiano volta bem por cima, como o novo presidente e CEO da F-1, no lugar do norte-americano Chase Carey, da Liberty media, que fez com brilhantismo toda a transição da categoria das mãos de Bernie Ecclestone para a empresa dos Estados Unidos. O simpático bigodudo Carey será o presidente não-executivo da F-1. Na prática, Domenicali “pilotará” o carro no dia a dia, enquanto Carey comandará o Conselho da categoria.
Com o anúncio, os principais cargos envolvendo a cúpula da F-1 ficarão com pessoas oriundas da Ferrari: Ross Brawn continuará como diretor esportivo, Jean Todt, como o presidente da FIA, e Dominicali será o “Capo di Tutti Capi”, expressão italiana herdada da malfadada Máfia para designar o “Chefe de Todos os Chefes”. Conheci pessoalmente o Dominicali às vésperas de um GP do Brasil, em Interlagos, quando fazia a cobertura da prova para o jornal Zero Hora, em um entrevista exclusiva no HC da Shell, eterna parceira da Ferrari na F-1. O italiano de 55 anos é uma pessoa extremamente agradável, simpático e sempre atento em tratar todas as pessoas da melhor maneira possível. Fará um ótimo trabalho no comando da nova F-1.
“Estou emocionado por ingressar na organização da Fórmula-1, um esporte que sempre fez parte da minha vida. Nasci em Ímola e moro em Monza. Permaneci conectado ao esporte por meio do meu trabalho com a Comissão de Assuntos Únicos da FIA e estou ansioso para me conectar com as equipes, promotores, patrocinadores e muitos parceiros na Fórmula-1 enquanto continuamos a impulsionar os negócios. Os últimos seis anos na Audi e depois na liderança da Lamborghini me deram uma perspectiva mais ampla e experiência que vou trazer para a Fórmula-1 – disse Domenicali.
Greg Maffei, presidente e CEO da Liberty Media, afirmou que está animado em receber Domenicali na Fórmula-1, ao mesmo tempo em que presta homenagem a Carey, que o dirigente norte-americano confirma que continuará desempenhando um papel importante.
“Chase fez um trabalho fenomenal liderando a F-1. Ele montou uma organização comercial e esportiva de primeira classe que tem uma longa lista de conquistas, incluindo ampliar o apelo do esporte, aumentar sua presença digital, estabelecer novos regulamentos técnicos, garantir um limite de custo pela primeira vez e alcançar um novo acordo justo do Pacto de Concorde com as equipes. Suas ações reforçaram a F-1 como o auge do automobilismo. Como sempre, ele tem sido um grande parceiro e aguardo com expectativa a continuação em sua nova função, como presidente não-executivo. Estamos entusiasmados em receber Stefano Domenicali como presidente e CEO da Fórmula-1. Domenicali traz uma rica história de sucesso na F-1 na Ferrari e na indústria automotiva mais ampla na Audi e na Lamborghin – comemorou Maffei.
Longa vida à F-1!

Resultado da sessão:
1) V. Bottas - Mercedes - 1min33s519
2) L. Hamilton - Mercedes - a 0s267
3) D. Ricciardo - Renault - a 1s058
4) C. Sainz Jr - McLaren - a 1s204
5) L. Norris - McLaren - a 1s328
6) S. Perez - Racing Point - a 1s371
7) M. Verstappen - Red Bull - a 1s529
8) C. Leclerc - Ferrari - a 1s533
9) E. Ocon - Renault - a 1s620
10) S. Vettel - Ferrari - a 1s664
11) P. Gasly - Alpha Tauri - a 1s691
12) A. Albon - Red Bull - a 1s942
13) D. Kvyat - Alpha Tauri - a 1s942
14) K. Raikkonen - Alda Romeo - a 1s997
15) N. Latifi - Williams - a 2s044
16) G. Russell - Williams - a 2s056
17) L. Stroll - Racing Point - a 2s108
18) K. Magnussen - Haas - a 2s210
19) A. Giovinazzi - Alfa Romeo - a 2s534
20) R. Grosjean - Haas - a 3s339



Quem vence na Rússia?

Dias ao Volante
Publicado por em Bolão 2020 F1 ·


E aí, amantes dos autinhos, Vamos para a décima etapa do Mundial, o GP da Rússia, no circuito de Sochi, diga-se, pra lá de chato e travado. A corrida pode ter Lewis Hamilton chegando às 91 vitórias de Michael Schumacher. Aliás, o hexaheptacampeão ganhou em Sochi nas duas últimas temporadas.
As apostas devem ser colocadas nos comentários deste post (clicando em "Ler tudo" no fim do post) ou serem enviadas para o meu e-mail (danieldias10259@gmail.com) ou (diasaovolante@diasaovolante.com) até cinco minutos antes do início do treino de classificação no sábado. Boa sorte!  

Itens para Sochi:
Pole: sobrenome do piloto - 5 pontos
Vencedor: sobrenome do piloto - 25 pontos
Segundo: sobrenome do piloto – 20 pontos
Terceiro: sobrenome do piloto – 15 pontos
Quarto: sobrenome do piloto – 10 pontos
Quinto: sobrenome do piloto – 5 pontos
Último colocado na corrida, entre os pilotos que completarem a prova: sobrenome do piloto -  15 pontos
Melhor volta da prova: 5 pontos
Desafio (proposto a cada prova): 10 pontos – no rodízio de desafios, é a vez exatamente do Lewis Hamilton. E como não poderia ser outra pergunta, vamos lá. O menino inglês consegue vencer na Rússia e chegar ao recorde na Fórmula-1? Sim ou não.
Gabaritar os cinco primeiros colocados da prova: 15 pontos
Acertar os cinco primeiros da prova fora de ordem: 5 pontos

Para acompanhar ao vivo todos os lances do GP da Rússia:
Sexta-feira: primeiro treino livre, 5h, segundo treino livre, 9h, ambos pelo SporTV.
Sábado: terceiro treino livre, 6h, classificação, 9h, ambos pelo SporTV.
Domingo: 8h10min, corrida, pela Globo.



O Bolão depois de Mugello

Dias ao Volante
Publicado por em Bolão 2020 F1 ·


O André e o Mauro foram os grandes vencedores da nona etapa, ao lado de Lewis Hamilton. Grande atuação dos três. Na tabela de pontuação do nosso Bolão, simplesmente pegou fogo de vez, com o Ismael a apenas 5 pontos de mim. Uma mísera pontuação de pole position. Mas tem mais gente por perto, com o Professor a 15 pontos e o Maurício e o Daniel Cardoso a 20 pontos. Além desses, tem outro bando de gente nos calcanhares. A próxima parada é na pista de autorama de Sochi, na Rússia. Acho que deu pra minha liderança. Ou não?

Parâmetros utilizados no GP da Toscana:
Pole: Hamilton
Vencedor: Hamilton
Segundo: Bottas
Terceiro: Albon
Quarto: Ricciardo
Quinto: Perez
Último colocado na corrida, entre os pilotos que completarem a prova: Grosjean
Melhor volta da prova: Hamilton
Desafio (proposto a cada prova): 10 pontos – no rodízio de desafios, coube exatamente para a Ferrari no seu GP de número mil na Fórmula-1, e em casa. Então, a pergunta é simples, mas de difícil acerto, pois pela experiência na F-1, Sebastian Vettel deve estar mais à vontade na pista de Mugello que seu companheiro Charles Leclerc. Qual dos dois chega na frente do outro na corrida? Vettel ou Leclerc? Leclerc

Toscana:
1) André Borges - 70 pontos
1) Mauro - 70 pontos
3) Ismael Reichert - 65 pontos
3) Mário Gayer do Amaral (Professor) - 65 pontos
5) Natanael Felipe Rhoden - 60 pontos
5) Eduardo Saraiva - 60 pontos
5) Pero Henrique - 60 pontos
5) Daniel Dias - 60 pontos
5) Maurício Dias - 60 pontos
10) Daniel Cardoso - 55 pontos
11) Luiz Herrera - 50 pontos
12) Francisco Cavalin - 45 pontos
13) Marcelo Pereira - 35 pontos
14) Gabriel Dias - 15 pontos
15) Marcelo Vieira - 5 pontos
16) Tiago Reimann - 0 ponto

Total:
1) Daniel Dias - 425 pontos
2) Ismael Reichert - 420 pontos
3) Mário Gayer do Amaral (Professor) - 410 pontos
4) Daniel Cardoso - 405 pontos
4) Maurício Dias - 405 pontos
6) Luiz Herrera - 385 pontos
7) Francisco Cavalin - 375 pontos
8) Natanael Felipe Rhoden - 370 pontos
9) André Borges - 360 pontos
10) Eduardo Saraiva - 340 pontos
11) Mauro - 335 pontos
12) Pedro Henrique - 305 pontos
13) Gabriel Dias - 285 pontos
14) Marcelo Pereira - 230 pontos
15) Marcelo Vieira - 195 pontos
16) Tiago Reimann  - 150 pontos



Hamilton vence a nonagésima em Mugello

Dias ao Volante
Publicado por em F-1 ·





A vitória de número 90 de Lewis Hamilton neste domingo em Mugello, a pista da Ferrari, que completou exatamente mil corridas na Fórmula-1, deveria ser saudada apenas com alegria, emoção e júbilo pelo piloto inglês da Mercedes estar a apenas uma conquista do recorde de Michael Schumacher. Deveria! Acontece que tem um piloto chamado de Valtteri Bottas que resolveu jogar tudo neste ano contra seu companheiro. E jogar tudo, que ele prometeu antes mesmo do início da temporada, significa jogar sujo, como houve na sua pole position na primeira prova do ano, na qual ele, garantido com o tempo para a pole, rodou de propósito na pista para que Hamilton não conseguisse superá-lo e ainda fosse punido por ultrapassar o limite de velocidade com bandeira amarela.
Pois bem, neste domingo, o finlandês – que a FIA, não sei o porquê (ou sei?), decidiu não punir neste ano, não importando o que ele faça de ruim na pista – poderia ter matado alguém. Como ocorreu na largada do GP da Itália de 1978, no qual os primeiros colocados diminuíram o ritmo na largada e provocaram o efeito cascata nos pilotos que vinham no meio do pelotão e resultou na morte do grande Ronnie Peterson (uma das fotos aí de cima, com muito fogo), Bottas, em primeiro lugar naquela altura da prova, desacelerou em uma relargada em movimento, para não dar vácuo para que o Hamilton o ultrapassasse. Com isso, houve o efeito cascata no meio do pelotão, com vários pilotos se batendo e quase pegando para valer o espanhol Carlos Sainz Jr., da McLaren, segundo colocado da prova anterior, em Monza. Sainz Jr. teve muita sorte e a ajuda do Halo para que não fosse decepado em plena pista (outra foto aí de cima).
Bottas, que nunca mereceu estar ao volante do melhor carro da F-1 no momento – desde 2014, aliás – foi o que é: um bandido, um patife, um débil mental, no sentido de não ter nada dentro da cabeça. A manobra insana de Bottas terminou com a corrida interrompida com bandeira vermelha. E vários pilotos foram para a conhecida salinha dos comissários para serem investigados. Vários, menos, claro, o Valtteri Bottas, o imune a punições neste ano. Hamilton, por outro lado, toma punição até se olhar feio para a cara de um comissário. Em Monza, na semana passada, a direção de prova roubou mais uma vitória do inglês ao fechar os boxes em tempo recorde na entrada de um safety car justamente para pegar o Hamilton. Neste domingo, por exemplo, o safety car entrou no início da corrida, Sebastian Vettel foi imediatamente para os boxes e nada aconteceu de punição para o piloto da Ferrari.
Amo a F-1 há muito tempo, mas essas coisas me causam enjoo no estômago. Botas é um patife, nada mais do que isso, e não merece estar em uma Mercedes e nem tão pouco ao lado do grande Lewis Hamilton em uma mesma equipe. O finlandês está consolidando a vice-liderança do campeonato – com mais uma desistência de Max Verstappen -, com um caminhão de desvantagem para Hamilton. Mas a segunda posição no campeonato para o segundo piloto da Mercedes é obrigação e, no caso, do Bottas, é sinônimo de último colocado na tabela de pontuação. E como a vida, ao contrário da FIA, pune, Hamilton reassumiu a ponta do GP da Toscana justamente pegando o vácuo do Bottas na primeira relargada com os carros parados no grid.
Mas, falemos de coisas boas. Lewis Hamilton parte, ainda neste ano, quem sabe daqui a duas corridas, em Nürburgring, para chegar a noventa e duas vitórias e se tornar o maior piloto de todos os tempos (que ele já é) também em números.

Resultado final:
1) L. Hamilton - Mercedes - 2h19min35s060
2) V. Bottas - Mercedes - a 4s880
3) A. Albon - Red Bull - a 8s064

4) D. Ricciardo - Renault - a 10s417
5) S. Perez - Racing Point - a 15s650
6) L. Norris - McLaren - a 18s883
7) D. Kvyat - Alpha Tauri - a 21s756
8) C. Leclerc - Ferrari - a 28s345
9) K. Raikkonen - Alfa Romeo - a 29s770
10) S. Vettel - Ferrari - a 29s983

11) G. Russell - Williams - a 32s404
12) R. Grosjean - Haas - a 42s036

13) L. Stroll - Racing Point - não completou
14) E. Ocon- Renault - não completou
15) N. Latifi - Williams - não completou
16) K. Magnussen - Haas - não completou
17) A. Giovinazzi - Alfa Romeo - não completou
18) C. Sainz Jr - McLaren - não completou
19) M. Verstappen - Red Bull - não completou
20) P. Gasly - Alpha Tauri - não completou

Melhor Volta - L. Hamilton - Mercedes - 1min18s833

Mundial de Pilotos 2020:
1) L. Hamilton - Mercedes - 190 pontos
2) V. Bottas - Mercedes - 135 pontos
3) M. Verstappen - Red Bull - 110 pontos
4) L. Norris - McLaren - 65 pontos
5) A. Albon - Red Bull - 63 pontos
6) L. Stroll - Racing Point - 57 pontos
7) D. Ricciardo - Renault - 53 pontos
8) C. Leclerc - Ferrari - 49 pontos
9) S. Perez - Racing Point - 44 pontos
10) P. Gasly - Alpha Tauri - 43 pontos
11) C. Sainz Jr - McLaren - 41 pontos
12) E. Ocon - Renault - 30 pontos
13) S. Vettel - Ferrari - 17 pontos
14) D. Kvyat - ALpha Tauri - 10 pontos
15) N. Hulkenberg - Racing Point - 6 pontos
16) K. Raikkonen - Alfa Romeo - 2 pontos
17) A. Giovinazzi - Alfa Romeo - 2 pontos
18) K. Magnussen - Haas - 1 ponto
19) G. Russell - Williams - 0 ponto
20) N. Latifi - Williams - 0 ponto
21) R. Grosjean - Haas - 0 ponto

Mundial de Construtores:
1) Mercedes - 325 pontos
2) Red Bull - 173 pontos
3) McLaren - 106 pontos
4) Racing Point - 92 pontos
5) Renault - 83 pontos
6) Ferrari - 66 pontos
7) Alpha Tauri - 53 pontos
8) Alfa Romeo - 4 pontos
9) Haas - 1 ponto
10) Williams - 0 ponto



Hamilton é pole em Mugello

Dias ao Volante
Publicado por em F-1 ·




Lewis Hamilton fez a volta mais rápida da história do circuito de Mugello, da Ferrari, e marcou sua nonagésima quinta pole position na Fórmula-1. Foi uma disputa muito forte com o companheiro Valtteri Bottas, que tinha superado o inglês em todos os treinos livres na pista italiana. No final, porém, prevaleceu o maior talento do hexaheptacampeão com uma diferença mínima, 59 milésimos de segundo. Mais uma coisa interessante sobre o Hamilton está nos detalhes em roxo de seu capacete. Historicamente, a cronometragem da F-1 usa a cor roxa para mostrar que o piloto é o mais rápido na volta ou nos setores da pista. É óbvio que o Hamilton não pediu para colocarem essa cor no capacete por isso, mas vale o registro. Max Verstappen até que ameaçou as Mercedes no Q2, porém, ficou a três décimos de segundo no Q3.
No milésimo GP da Ferrari na F-1, em casa, Sebastian Vettel, já totalmente com a cabeça na Aston Martin para 2021, não conseguiu passar para o Q3. Charles Leclerc foi para a última parte da classificação, fez uma boa volta que o colocou atrás de Alexander Albon, da Red Bull, no entanto, mais de um segundo atrás de Hamilton.
O vencedor do GP da Itália, no domingo passado, Pierre Gasly, não se classificou nem para o Q2 em Mugello. O francês disse depois que sua AlphaTauri não carregou as baterias do sistema elétrico do motor nas suas duas tentativas de volta rápida.

Resultado da Classificação:
1) L. Hamilton - Mercedes - 1min15s144
2) V. Bottas - Mercedes - a 0s059
3) M. Verstappen - Red Bull - a 0s365
4) A. Albon - Red Bull - a 0s810
5) C. Leclerc - Ferrari - a 1s126
6) S. Perez - Racing Point - a 1s167 - perderá uma posição
7) L. Stroll - Racing Point - a 1s212
8) D. Ricciardo - Renault - a 1s399
9) C. Sainz Jr - McLaren - a 2s726
10) E. Ocon - Renault - sem tempo

11) L. Norris - McLaren
12) D. Kvyat - Alpha Tauri
13) K. Raikkonen - Alfa Romeo
14) S. Vettel - Ferrari
15) R. Grosjean - Haas

16) P. Gasly - Alpha Tauri
17) A. Giovinazzi - Alfa Romeo
18) G. Russell - Williams
19) N. Latifi - Williams
20) K. Magnussen - Haas



Bottas fica na frente na sexta em Mugello

Dias ao Volante
Publicado por em F-1 ·


A dobradinha da Mercedes no segundo treino livre para o GP da Toscana foi liderada por Valtteri Bottas com Lewis Hamilton a 0s207 mais lento, Max Verstappen (Red Bull) ficou logo atrás a 0s246.
O bom desempenho da manhã de Charles Leclerc (Ferrari) foi por água abaixo nessa segunda sessão, com os pilotos mais acostumados com o traçado e ajustes nos carros, a Ferrari voltou para o meio do pelotão.

Resultado da sessão:
1) V. Bottas - Mercedes - 1min16s989
2) L. Hamilton - Mercedes - a 0s207
3) M. Verstappen - Red Bull - a 0s246
4) A. Albon - Red Bull - a 0s982
5) D. Ricciardo - Renault - a 1s050
6) E. Ocon - Renault - a 1s126
7) S. Perez - Racing Point - a 1s209
8) P. Gasly - Alpha Tauri - a 1s255
9) K. Raikkonen - Alfa Romeo - a 1s396
10) C. Leclerc - Ferrari - a 1s411
11) L. Stroll - Racing Point - a 1s473
12) S. Vettel - Ferrari - a 1s509
13) C. Sainz Jr - McLaren - a 1s662
14) L. Norris - McLaren - a 1s669
15) D. Kvyat - Alpha Tauri - a 1s747
16) G. Russell - Williams - a 1s854
17) A. Giovinazzi - Alfa Romeo - a 1s955
18) N. Latifi - Williams - a 1s994
19) K. Magnussen - Haas - a 2s124
20) R. Grosjean - Haas - a 2s268



Bottas inaugura Mugello na frente

Dias ao Volante
Publicado por em F-1 ·



Valtteri Bottas (Mercedes) liderou o treino da manhã com o Max Verstappen (Red Bull) a 0s048 mais lento e Charles Leclerc (Ferrari), com um bom desempenho na casa da escuderia italiana, completou o top3 a 0s307.
Ainda temos muita coisa para ver e muito desenvolvimento nos acertos dos carros no decorrer dos treinos livres.

Resultado da sessão:
1) V. Bottas - Mercedes - 1min17s879
2) M. Verstappen - Red Bull - a 0s048
3) C. Leclerc - Ferrari - a 0s307
4) L. Hamilton - Mercedes - a 0s530
5) P. Gasly - Alpha Tauri - a 0s797
6) E. Ocon - Renault - a 0s926
7) D. Kvyat - Alpha Tauri - a 0s960
8) L. Norris - McLaren - a 1s102
9) A. Albon - Red Bull - a 1s189
10) D. Ricciardo - Renault - a 1s261
11) K. Raikkonen - Alfa Romeo - a 1s340
12) R. Grosjean - Haas - a 1s345
13) S. Vettel - Ferrari - a 1s388
14) A. Giovinazzi - Alfa Romeo - a 1s443
15) C. Sainz Jr - McLaren - a 1s578
16) G. Russell - Williams - a 1s599
17) K. Magnussen - Haas - a 1s672
18) L. Stroll - Racing Point - a 1s957
19) S. Perez - Racing Point - a 1s961
20) N. Latifi - Williams - a 2s155



Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal