48 anos do primeiro título - Blog da Fórmula-1 de Daniel Dias - Dias ao Volante

Ir para o conteúdo

Menu principal:

48 anos do primeiro título

Dias ao Volante
Publicado por em F-1 ·


Era o dia 10 de setembro de 1972. GP da Itália, em Monza, que utilizava pela primeira vez as chicanes (verdadeiras lombadas, como dá para ver na foto aí de cima), Emerson Fittipaldi em ação para vencer a corrida e o primeiro título para o Brasil. A façanha do “Rato” se tornaria ainda mais épica depois do acidente do caminhão da Lotus que levava a Lotus 72D titular do brasileiro da Inglaterra para a Itália. O carro ficou destruído. Às pressas, Colin Chapman mandou embarcar o chassi 05 – o da primeira vitória de Emerson na F-1, nos EUA, em 1970, para alinhar para o GP da Itália. A coisa tomaria contornos de dramaticidade quando o “Rato” levou a Lotus preta e dourada para o grid, com um vazamento no tanque de gasolina. O conserto foi feito em tempo recorde, usando, dizem as más línguas, até goma de mascar para deter o vazamento. O escocês (arghh, para nós, ingleses), tinha de vencer a prova para poder continuar respirando no campeonato, mas ficou pelo caminho. Emerson foi subindo de posições e assumiu a ponta pouco depois da metade da corrida. Manja só o nome dos seis primeiros colocados da prova de 1972, os seis que ganhavam pontos na época. É tanta cobra que o Butantã fica com inveja:

1 Emerson Fittipaldi (BRA), Lotus, em 1h29min58s
2 Mike Hailwood (ING), Surtees, a 14:5
3 Denny Hulme (NZE), McLaren, a 23:8
4 Peter Revson (EUA), McLaren, a 35:7
5 Graham Hill (ING), Brabham, a 1:5:6
6 Peter Gethin (ING), BRM, a 1:21:9



2 comentários
Média dos votos: 120.0/5
Daniel Dias
2020-09-11 17:24:40
Eu não disse que tinha todas as chicanes de agora em Monza. Só disse que foi a primeira vez que Monza teve chicanes.
Francisco Cavalin
2020-09-11 15:45:56
Na verdade, só tinha a chicane da Ascari, chicane da reta dos boxes era improvisada antes da curva inclinada do oval (a chicane Rettifilo atual é depois), os carro vinham pela parte interna da reta (que era tipo uma avenida sem canteiro) e depois desviam para a parte externa, e a chicane Roggia nem existia ainda.
O Emerson foi um pioneiro, coisa que talvez estejamos precisando novamente, pois tá difícil de ver piloto brasileiro de novo na F1. Só por isto merece toda a nossa reverência.

Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal