08/2018 - Blog da Fórmula-1 de Daniel Dias - Dias ao Volante

Ir para o conteúdo

Menu principal:

Fernando x Alonso

Dias ao Volante
Publicado por em F-1 ·

A um só tempo, um dos melhores pilotos de todos os tempos e o maior encrenqueiro da história da Fórmula-1, Fernando Alonso, pode-se dizer, cavou a própria sepultura e só não está a pé porque restou a McLaren para ele correr. Isso que o espanhol aprontou tudo contra a equipe inglesa em 2007, mas eram os tempos de outro bicudo como chefe de equipe, o Ron Dennis. O insuportável dirigente hoje ocupa uma cadeira burocrática qualquer no Grupo McLaren. Nesta semana, Christian Horner, o chefão da Red Bull, disse que não pensou no nome do Alonso para a vaga de Daniel Ricciardo, que vai para a Renault em 2019, porque "o Fernando representa o caos". Ou seja, de nada adianta o Alonso ser um dos melhores pilotos em atividade se ele corrói o ambiente na equipe.
É uma pena isto! Mas é verdade. Embora esteja bem mais light nos últimos anos, o Alonso continua pensando apenas em uma pessoa no circo: nele próprio! Nada de mal nisso, o Ayrton Senna, por exemplo, também pensava só nele quando o assunto era automobilismo, no entanto, o tricampeão brasileiro nunca entrou em atrito com sua equipe. Sua briga contra o Alain Prost ficava restrita a ele e ao francês. Ao contrário, Alonso põe fogo nas relações entre ele, seu companheiro e a equipe para buscar seu próprio bem. Infelizmente, de novo, aos 37 anos, o Alonso não muda mais!



Transplante salva Lauda

Dias ao Volante
Publicado por em F-1 ·

O austríaco Niki Lauda, atual presidente não-executivo da Mercedes, tricampeão da Fórmula-1 pela Ferrari (1975 e 1977) e McLaren (1984) e um dos maiores pilotos de todos os tempos, recebeu um pulmão feito por transplante na semana passada. A operação foi um sucesso, e o tricampeão se recupera com tranquilidade. Nesta quarta, a família de Niki revelou que ele teria poucos dias de vida sem o novo órgão. O problema de saúde de Lauda é um feflexo ainda de seu terrível acidente sofrido em Nürburgring Nordschleife no GP da Alemanha de 1976. A Ferrari de Lauda explodiu e o piloto inalou grande quantidade de fumaça até ser resgatado principalmente pelo piloto italiano Arturo Merzario do meio da bola de fogo em que estava, preso nas ferragens e já sem o capacete.
Quem assistiu ao filme Rush, No Limite da Emoção, sabe o martírio por que Lauda passou no hospital para os médicos limparem seus pulmões. Eu confesso que mal consegui ficar olhando para a tela nessas cenas. A limpeza dos pulmões na época salvou a vida de Lauda mas deixou sequelas.
Sou um apaixonado pela carreira e pela vida do Niki Lauda, fico na torcida por mais uma recuperação sua, assim como todos os amantes dos autinhos, tenho certeza!



Stroll compra a Force India

Dias ao Volante
Publicado por em F-1 ·

Pai de Lance Stroll, da Williams, e multimilionário canadense, Lawrence Stroll concluiu a compra da Force India. O negócio salvará a equipe da falência iminente e manterá o emprego dos funcionários, abrindo uma vaga para o filho em 2019. Depois do anúncio da ida do australiano Daniel Ricciardo da Red Bull para a Renault no próximo ano, as férias de verão europeu da Fórmula-1 estão bem agitadas. Em cadeia, a saída de Lance da Williams também abre um desenrolar de fatos. O primeiro é saber quem ficará na Force India, o mexicano Sergio Perez ou francês Esteban Ocon. Voto no Ocon. O segundo encaminha a Williams para o fundo do poço, pois perderá os preciosos dólares que o pai Lawrence coloca na equipe de Frank Williams, que perderá também o seu principal patrocinador, a Martini. Quanto a pilotos, a escuderia inglesa ainda ficaria bem, com o russo Sergey Sirotkin e o polonês Robert Kubica, em uma autêntica dupla da velha Cortina de Ferro. O problema é saber se a Williams terá dinheiro para alinhar em 2019.



Ricciardo agita a Fórmula-1

Dias ao Volante
Publicado por em F-1 ·

Daniel Ricciardo provocou o maior alvoroço na dança das cadeiras da Fórmula-1 dos últimos anos anunciando nesta sexta-feira sua ida da Red Bull para a Renault. Foi uma jogada de mestre do australiano, depois que as vagas na Ferrari e na Mercedes praticamente se fecharam para ele. Foi uma decisão de coragem do xará mas também foi uma da únicas saídas que ele tinha. A outra era ficar na Red Bull e confiar que o projetista Adrian Newey possa fazer algum milagre com os motores Honda em 2019. Portanto, a Renault é um porto seguro para a carreira de Ricciardo. Ao mesmo tempo, pode ter sido a carta que a equipe francesa estava aguardando para mudar de patamar na F-1. Ao lado de Nico Hulkenberg, Ricciardo fará uma dupla de respeito no próximo campeonato.
Para dividir as atenções com o bad boy Max Verstappen em 2019, a Red Bull deve optar por Carlos Sainz Jr. – piloto da Red Bull e emprestado para a Renault – ou promover Pierre Gasly, atualmente na Toro Rosso.



Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal