Chevrolet Prisma LTZ 1.4 2019 - Dias ao Volante

Ir para o conteúdo

Menu principal:

Chevrolet Prisma LTZ 1.4 2019

Prisma muda de patamar
17 de agosto de 2018 - por Gabriel Dias e Daniel Dias

Linha 2019 do sedã mais vendido do país traz melhoramentos em todos os quesitos e novos equipamentos de série para todas as versões. Na configuração top, a LTZ, modelo gaúcho se destaca da concorrência.
Seguindo o irmão hatch Onix, o carro mais vendido do Brasil desde 2015, o Prisma recebeu como item de série na linha 2019 volante multifuncional, quadro de iluminação True White (no lugar do azul), cinto de três pontos, encosto de cabeça para todos os ocupantes e computador de bordo, antes limitado à versão LTZ. Essas mudanças não chegam ao Prisma Joy, configuração que manterá a identidade visual antiga ao lado do motor 1.0 de até 80 cavalos e câmbio mecânico de 6 velocidades. O Prisma é oferecido nas versões Joy (a partir de R$ 48,39 mil), LT (R$ 59,29 mil), Advantage (R$ 59,99 mil) e LTZ (top de linha, a R$ 64,29 mil), sempre com o motor 1.4. Surgido inicialmente como o sedã do Celta, o Prisma passou a ser o três volumes do Onix – todos produzidos no Complexo de Gravataí (RS) da General Motors – a partir de 2013, herdando o design e a mecânica do irmão hatch. Espelhando a trajetória do Onix, o Prisma é o atual líder de vendas entre os sedã no país, com uma média de 5,5 mil unidades comercializadas por mês, ficando à frente do Toyota Corolla.
Dias ao Volante testou a linha 2019 do Prisma LTZ equipado com o 1.4 SPE/4 bicombustível de 98 cavalos (gasolina) e 106 cavalos (etanol), que permite aceleração de 0 a 100 km/h em 11,2 segundos e velocidade final de 180 km/h, conforme a montadora, associado ao câmbio automático (GF6) de 6 marchas, podendo ser comandado pelo motorista no modo sequencial em botões localizados na alavanca do câmbio. Ao contrário do teste com a linha 2018, o carro desta vez estava abastecido com etanol, com o qual foram coletados bons resultados para o consumo, com média de 10,3 km/l na cidade (ante 12,9 km/l da linha anterior), 15,2 km/l na estrada (ante 17,4 km/l) e média combinada de 11,7 km/l.
Além dos itens de série, a versão LTZ traz como destaque o novo e elegante revestimento em material Premium dos bancos, chave multifuncional tipo canivete, faróis com lâmpadas do tipo Blue Vision, colunas B (a central do veículo) em preto com alto brilho, rodas de liga leve de 15 polegadas também em preto brilhante e nova opção de cor para a carroceria, a Azul Infinity.
Não é preciso de muito tempo a bordo para se perceber que o Prisma mudou de patamar, tanto nos acabamentos internos e externos quanto na dirigibilidade, sempre agradável e equilibrada. Apesar de não ter mudanças dos equipamentos mecânicos, a Chevrolet recalibrou a transmissão automática GF6, ficando com um ótimo desempenho. Tirando o comportamento um pouco arrastado da primeira marcha – algo que o motorista necessita de um certo tempo para se acostumar -, o cambio automático e sequencial do Prisma tem uma atuação dinâmica muito boa, seja na confiança de passagem da força motriz às rodas ou nas trocas de marchas sem solavancos e com engates perfeitos. O câmbio automático de seis velocidades da família Onix/Prisma é um dos grandes destaques atuais da Chevrolet no Brasil.
Com retomadas de velocidade espertas e até esportivas – em se tratando de uma transmissão automática -, o Prisma não prega sustos e nem deixa o motorista na mão. Com baixíssimo rolamento da carroceria, o sedã compacto da Chevrolet contorna as curvas com segurança e encara os desníveis da estrada sem preocupações. No quesito segurança, o Prisma é dotado de dois airbags (motorista e carona) e freios ABS obrigatórios por lei desde 2014 e distribuidor de frenagem (EBD).
A vida a bordo do Prisma – com comprimento de 4,28 metros, largura de 1,96 metros, altura de 1,47 metro e entre-eixos de 2,52 metros – é confortável e espaçosa para quatro ocupantes adultos ou uma família com casal e dois filhos. A comodidade se completa com o bom espaço para bagagens. Mesmo não tendo uma das maiores capacidades no porta-malas de sua categoria, os 500 litros são suficientes, pela disposição do compartimento e pela traseira bem alta do carro.
O motorista encontra com facilidade os acionamentos das funções do veículo e dos sistemas de entretenimento e interatividade. Os comandos do controlador de velocidade, do som e do atendimento do celular são ligados ao MyLink – multimídia com tela de 7 polegadas touchscreen com exclusivos botões de acesso – e estão localizados no volante multifuncional, para tranquilidade do condutor.
A subida de patamar do Prisma é notada também pela ampla conectividade, com o MyLink compatível com Android Auto e Apple CarPlay e sistema de telemática OnStar. A fabricante norte-americana oferece o OnStar como cortesia por um ano. O dispositivo – exclusivo da marca da gravatinha dourada - traz serviços de conectividade, informações de segurança, emergência e concierge, que funciona como uma espécie de assistente pessoal do motorista. Com a função, é possivel, por exemplo, pesquisar pontos de interesse, localizar rotas e fazer agendamentos. O funcionamento do OnStar é controlado por três botões localizados junto ao retrovisor interno – o da esquerda, para atender às ligações da Central, o do meio, para iniciar o contato com a Central e o da direita, para emergências. Todas as ligações são feitas por meio de um chip próprio instalado na base do espelho.
De acordo com a fabricante, a operadora escolhida é a Claro, por ter a melhor abrangência em território nacional. Além dos botões no espelho, o usuário tem a disponibilidade de um aplicativo de celular para acessar às funcionalidades, incluindo o fechamento e o destravamento das portas do veículo.
O sistema oferece ainda assistência na recuperação do carro em caso de roubo, sensores de arrombamento e alerta à Central, que entra em contato com o proprietário para verificação do fato e dar sequência na operação de busca. Se o veículo for levado, é possível observar seu deslocamento via satélite e enviar um comando remoto de redução gradual da velocidade até bloquear o motor totalmente, para facilitar a recuperação do carro pela polícia.

FICHA TÉCNICA

Motor: dianteiro,1.4 8V

Potência: 98 cavalos (gasolina) e 106 (etanol)

Transmissão: automática de seis velocidades, com sequencial

Direção: elétrica progressiva

Suspensão: dianteira tipo McPherson com barra estabilizadora ligada a hastes tensoras e molas helicoidais com carga lateral linear, roda independente, amortecedor telescópico pressurizado estrutural e traseira com eixo de torção sem barra estabilizadora, roda semi-independente e molas helicoidal com constante elástica linear, amortecedor telescópico pressurizado

Freios: a disco ventilado na dianteira e a tambor na traseira, hidráulico com duplo circuito distribuído em diagonal, com ABS (Anti-block Braking System), EBD (Electronic Brake Distribution)

Rodas: aro de liga 15 com pneus 185/65

Peso: 1.085 quilos

Porta-malas: 500 litros

Tanque: 54 litros

Dimensões: comprimento 4,28 metros, largura 1,96 metros, altura 1,47 metro, entre-eixos 2,52 metros

Airbag: dois (motorista e passageiro)

Ocupantes: cinco

Essa versão a partir de R$ 64,29 mil


DESTAQUES

Estilo
10
Câmbio
9
Acabamento
9Freios
10
Posição de dirigir
8Suspensão
10
Instrumentos
9Consumo
8
Interior
9Estabilidade
10
Porta-malas
10Custo-benefício
9
Desempenho
9Recomendação
9
Motor
9Avaliação Geral
9,2

Curta a página de “Dias ao Volante.Carros” no Facebook, em www.facebook.com/DiasaoVolante.Carros

Sem comentários
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal